A estratégia foi mostrar, através dos pitorescos profissionais do Palacete Santa Elza, que ali funciona o IBCCRIM também. Isso porque a seção “Mistérios da Cidade” pede esse lado “pitoresco” de São Paulo.